Como dizer "não" sem medo

Não precisa ser difícil.

Arthur Pinheiro Machado Blocked Unblock Seguir Seguindo 29 de outubro de 2016 Shannon Fagan – Getty Images

A rede Leadership Insiders é uma comunidade on-line onde as pessoas mais inteligentes e influentes nos negócios contribuem com respostas para perguntas oportunas sobre carreiras e liderança. A resposta de hoje à pergunta “Qual é a melhor maneira de dizer 'não' no trabalho?” É escrita por Arthur Pinheiro Machado, CEO do Americas Trading Group.

Não importa quanta experiência você tenha, ou onde você esteja na hierarquia da empresa, dizer “não” é sempre difícil. Portanto, não fique frustrado ou pense que é um sinal de fraqueza.

Na minha carreira, encontrei duas situações em que acho mais difícil dizer “não”. Primeiro, quando um funcionário pede uma promoção para uma posição disponível, mas não acredito que o indivíduo tenha o ajuste certo; e segundo, quando um funcionário merecedor pede uma promoção, mas a empresa não consegue atender a solicitação devido a limitações de pessoal.

Ambas as situações podem ser estressantes. Então, como você pode dizer "não" sem insultar seus funcionários?

Concentre-se em detalhes

Se o funcionário solicitar uma promoção, faça uma lista dos critérios específicos necessários para o trabalho. Em seguida, use isso para detalhar suas expectativas para a posição e como, no futuro, essa pessoa poderá chegar lá.

Três anos atrás, um funcionário me pediu uma promoção. Ele tinha grandes habilidades técnicas, mas o trabalho exigia habilidades políticas e relacionais que ele não tinha. Eu disse a ele os requisitos para a posição – uma rede forte, sensibilidade para os outros, uma perspectiva política, boa capacidade de ouvir – e apontou que ele estava atualmente carente nessas áreas. Inicialmente, o funcionário sentiu-se frustrado, mas depois de alguns dias de reflexão elaborou um plano de como adquirir essas habilidades e, eventualmente, atingir tal posição.

Controlar a conversa

Embora seja importante ouvir atentamente o raciocínio de um funcionário, tenha cuidado com desvios. Se você sair do curso, traga a conversa de volta para o assunto em questão.

Dois anos atrás, falei com um gerente que estava solicitando uma transição para uma posição mais sênior em uma área separada da empresa. Como na situação acima mencionada, ela era adequada para o trabalho que ocupava atualmente, mas não possuía as habilidades necessárias para esse outro papel. Depois de percorrer os requisitos específicos de elegibilidade, ela começou a destacar o número de anos que dedicara à empresa e sua popularidade na empresa. Expliquei que, embora valorizássemos essas qualidades, as exigências da posição permaneciam as mesmas e ela não as cumpria na época. Ao trazer nossa conversa de volta à questão central, mantivemos o foco e poderíamos ter uma discussão racional.

Desconecte-se

Sempre fale como se você fosse um observador ou crítico externo. Não se deixe arrastar por uma discussão e evite ser influenciado por apelos emocionais. Naturalmente, todos nós temos problemas. Mas ser sensível aos problemas dos outros e cuidar da sua equipe não significa que você pode fornecer soluções para todas essas preocupações.

Eu trabalhei com pessoas que tentaram tirar proveito de emergências familiares para me convencer a dar-lhes um bônus maior ou impedir que seu salário fosse cortado. Nestas situações, a distância é importante. Mesmo que os gerentes devam ser sensíveis aos problemas pessoais de seus funcionários, isso não deve levar em consideração promoções e bônus. Isso não seria justo com outros funcionários que também podem estar enfrentando sérios problemas, mas simplesmente não estão sendo tão abertos sobre eles.

Seguindo essas dicas, não só será mais fácil você dizer “não”, mas também ajudará a tomar decisões mais justas e construtivas no trabalho.

Se você quiser ler mais artigos como este, recomende este clicando no coração abaixo.

Texto original em inglês.