Inteligência Emocional Em Grupos

Gabriel Medina Segue 12 de jul · 5 min ler

Quando a inteligência emocional foi introduzida pela primeira vez, causou uma enorme mudança na forma como os gerentes percebiam seu papel. O termo inteligência emocional caracterizava o que muitos líderes já sentiam sobre o modo como as equipes interagiam. Isso fez com que as pessoas percebessem a diferença entre o papel do EQ e o QI em um ambiente de trabalho produtivo. Consequentemente, isso levou a uma transformação na forma como os gerentes executavam suas responsabilidades e gerenciavam suas equipes.

Hoje, tem havido inúmeros estudos realizados para descobrir mais sobre inteligência emocional. Os pesquisadores conseguiram reunir muitas informações sobre muitos aspectos da inteligência emocional. Estudos sobre inteligência emocional fizeram várias contribuições positivas para ajudar as organizações a alcançar maior produtividade.

O que é inteligência emocional?

Segundo Daniel Goleman, a inteligência emocional nos indivíduos é a capacidade de administrar a si mesmo e aos relacionamentos. Isso significa a capacidade de entender e gerenciar as emoções. E a capacidade de entender e influenciar as emoções dos outros.

Em seu livro, Inteligência Emocional , Goleman fala sobre os cinco principais pilares para o desenvolvimento da inteligência emocional em indivíduos. Esses cinco pilares são autoconhecimento, autorregulação, motivação, empatia e habilidades sociais. Ele afirma que, para ser um indivíduo emocionalmente inteligente, devemos trabalhar na melhoria de todas essas cinco áreas.

Benefícios da Inteligência Emocional em Grupos

Inteligência emocional não é o mesmo em grupos como indivíduos. Em grupos, há mais dinâmicas que contribuem para mudanças na maneira como as pessoas interagem. Aprender a gerenciar essas dinâmicas é fundamental para ter uma equipe colaborativa e produtiva.

Construir uma equipe emocionalmente inteligente não é tão simples quanto unir indivíduos emocionalmente inteligentes. Você deve aprender a desenvolver a inteligência emocional dentro do grupo que estimula o crescimento de cada um dos indivíduos envolvidos. Os benefícios de se fazer isso podem resultar em maior produtividade, melhor qualidade de trabalho e maior satisfação geral com outros membros da equipe.

Aqui estão alguns dos benefícios mais comuns do desenvolvimento da inteligência emocional em equipes ou grupos.

Mais trabalho é alcançado por equipes emocionalmente inteligentes

Um estudo conduzido por Cross, Rebele e Grant revela que a colaboração entre indivíduos no trabalho aumentou em mais de 50% nos últimos vinte anos. Isso significa que aprender a trabalhar bem com os outros é uma parte crucial de ser produtivo na sociedade de hoje. Grupos que são emocionalmente inteligentes tendem a ter um desempenho melhor em tarefas colaborativas. Eles tendem a trabalhar mais e obter resultados significativos em equipe.

Maior contribuição dos membros da equipe

No mesmo estudo, Cross, Rebele e Grant descobriram que, na maioria dos casos, 20 a 35% do valor agregado a um projeto vinha de apenas 3% a 5% dos membros da equipe. Isso significa que a maioria das contribuições veio de apenas alguns indivíduos. Grupos que possuem altos níveis de inteligência emocional tendem a receber mais contribuições de membros individuais da equipe. Os membros da equipe têm maior probabilidade de participar e agregar valor ao projeto de várias maneiras diferentes.

Relações Melhoradas Entre Indivíduos

Indivíduos que fazem parte de grupos emocionalmente inteligentes também tendem a ter melhores relacionamentos. Várias das dinâmicas que fazem com que grupos emocionalmente inteligentes trabalhem juntos contribuem para a felicidade geral dos membros da equipe. Os indivíduos que participam desses grupos experimentam mais inclusão, feedback construtivo e a oportunidade de fazer uma diferença positiva. Isso resulta em membros da equipe sentindo-se compreendidos e apreciados.

Como desenvolver inteligência emocional em grupos

Em um estudo inovador realizado por Vanessa Urch Druskat e Steven B. Wolff, eles conseguiram encontrar um modelo confiável para o desenvolvimento da inteligência emocional em grupos. Durante a pesquisa, eles estudaram centenas de organizações diferentes em busca de um modelo que contribuísse para a inteligência emocional entre os grupos. Eventualmente, eles encontraram uma empresa, a IDEO, que possuía um modelo confiável para o desenvolvimento da inteligência emocional entre os membros da equipe. Eles encontraram três condições principais que eram essenciais para promover a eficácia do grupo: confiança entre os membros, um senso de identidade de grupo e um senso de eficácia do grupo.

Sempre que esses três fatores estavam presentes em uma equipe ou organização, os indivíduos tiveram um desempenho melhor. Eles eram mais propensos a se dar bem e produzir uma qualidade maior de trabalho. Agora, isso não significa que os membros do grupo não possam participar e cooperar sem essas condições. No entanto, eles são menos eficazes na realização de seus objetivos.

Uma descoberta importante deste estudo também revela que é necessário estabelecer normas para promover a inteligência emocional dentro dos grupos. As normas ajudam a estabelecer um ambiente no qual os membros do grupo são respeitados e podem participar. Estabelecer normas que encorajem a autoconsciência em torno do estado emocional, pontos fortes e fracos, modos de interação e processos de tarefas do membro melhoram a eficácia do grupo e a inteligência emocional.

Em sua pesquisa, Druskatt e Wolff encontraram cinco métodos que contribuem para o estabelecimento de normas dentro dos grupos. Esses cinco métodos são líderes de equipe formais, líderes de equipe informais, seguidores corajosos, treinamento e grande cultura organizacional. Ter uma forte combinação desses cinco fatores estimula a inteligência emocional nos grupos participantes.

Por fim, Druskatt e Wolff encontraram três níveis de interação entre os grupos. Esses três níveis de interação são as emoções do indivíduo, as emoções do grupo e as emoções fora do grupo. Aprender a estabelecer normas nesses três níveis de interação é essencial para o desenvolvimento da inteligência emocional entre os membros do grupo.

Conclusão

Desenvolver grupos emocionalmente inteligentes é essencial para todas as organizações. A promoção da inteligência emocional entre os membros da equipe pode produzir níveis mais altos de produtividade, melhores resultados e maior camaradagem. Juntas, essas habilidades de inovação e solução de problemas de combustível são necessárias para que qualquer instituição seja eficaz. Aprender a desenvolver a inteligência emocional entre os membros de seu grupo pode ajudá-lo a destacar o melhor dos membros de sua equipe e obter resultados de maior qualidade.

Quais são seus pensamentos sobre inteligência emocional em grupos? Por favor, deixe-me saber na seção de comentários abaixo!