Por que os títulos de emprego entram no caminho do crescimento

Eles promovem divisão, não colaboração

Gustavo Razzetti Blocked Desbloquear Seguir Seguindo 2 de janeiro Foto de Esteban Lopez no Unsplash

Nós não sabemos o quanto estamos ligados a algo até deixarmos passar.

Quando terminei de entregar a palestra, a sala não estava apenas cheia de aplausos – todo o chão estava coberto de pequenos pedaços de papel.

“A platéia adorou sua palestra, mas as pessoas da limpeza vão te odiar”, um dos organizadores me disse rindo.

Fui convidado para falar sobre a democratização da liderança em organizações ágeis. Nosso apego aos títulos inibe o crescimento organizacional – é por isso que encorajei as pessoas a abandoná-lo física e metaforicamente.

Pedi aos participantes que anotassem seu nome e cargo. Todos ao mesmo tempo rasgaram seu "cartão de visita" dizendo imediatamente: "Eu não sou mais (o cargo deles), eu sou apenas (o nome deles)".

Eu facilitei este exercício várias vezes antes. No entanto, assistir a cerca de 1.000 pessoas deixando seu anexo ao título simultaneamente foi uma experiência poderosa e energizante. Nós geralmente não percebemos o quanto sofremos até que nos livramos do que estava causando a dor.

Inovação se alimenta da diversidade de pensamentos. Os títulos impedem isso, silenciando a franqueza e as perspectivas individuais – as pessoas guardam suas melhores ideias para si mesmas.

Você não é seu título

A capacidade de impulsionar a mudança não está diretamente relacionada a um título – todos na organização têm a responsabilidade e a capacidade de liderar .

A maioria das pessoas permite que um cargo defina sua identidade, autoestima, status e muito mais. É por isso que nos apegamos a essa linha sob o nosso nome: queremos o nosso quinhão de reconhecimento. No entanto, somos mais do que apenas um título – as contribuições das pessoas não devem se limitar à posição que ocupam.

Títulos de emprego tendem a criar divisões em vez de fomentar a colaboração.

Rasgar um cartão de visita é um quebra-gelo poderoso para definir o nível de uma equipe. Cria consciência de como os títulos ficam no nosso caminho – todos reconhecem o elefante na sala.

Deixar de lado o título – mental e fisicamente – é uma maneira poderosa de liberar essa pressão emocional. Mas, mais importante, envia uma mensagem clara. Encorajamos a equipe a priorizar a qualidade sobre os egos – uma ideia é mais importante do que quem a criou.

"Abrace sua vulnerabilidade, não se esconda atrás de seu título."

Lembro-me de consultar uma universidade na Europa – o CEO estava frustrado com sua cultura tóxica. "Eles são todos backstabbers e passivo-agressivo", eu me lembro dela me dizendo durante a nossa primeira chamada, "Eles não podem ver um ao outro nos olhos."

Não surpreendentemente, durante a primeira equipe fora do local, ela foi a única que não conseguiu rasgar seu cartão. Mesmo seus subordinados diretos não tinham problema algum em abrir mão deles – todos estavam dispostos a se tornar mais vulneráveis na frente um do outro, exceto ela.

Eu não estou julgando essa mulher – ela não podia aceitar o desafio. Era mais fácil para ela culpar a equipe. Deixando de lado o título de alguém não é sobre nos fazer todos iguais, mas sobre compartilhar responsabilidade – toda a equipe é dona do problema e é responsável por resolvê-lo.

O mesmo acontece no lado oposto do espectro – os funcionários usam a (falta de) título como uma desculpa para não intensificar quando necessário.

É mais fácil se esconder atrás de um título do que ser responsável.

Cinco maneiras de superar o viés do título

Deixar de lado o título não significa necessariamente livrar-se de títulos formais, mas do " status de nobreza ". Algumas organizações substituíram os cargos por outras mais sofisticadas, mas deixam de implicar a "ilusão de poder" – o apego à autoridade fica no caminho.

Rasgar um cartão de visita é poderoso, mas é apenas uma metáfora. Para superar o viés do título, é necessário abordar os comportamentos estabelecidos.

1. Os títulos inibem a sinceridade:

A maioria das pessoas se sente intimidada por seus chefes – uma pesquisa da Harvard Business Review revela que a maioria das pessoas confia em um estranho que seu gerente.

Segurança psicológica é fundamental para encorajar as pessoas a falar sem o medo de serem julgadas ou punidas. Criar confiança leva tempo e precisa ser estimulado continuamente – fique de olho no quanto sua equipe se sente segura.

Os membros da sua equipe falam ou censuram suas melhores ideias? Esteja atento às suas sugestões verbais e não verbais – você está promovendo ou impedindo conversas abertas? Dizer que a organização é segura, mas não prestar atenção total pode ser percebido como você é desdenhoso.

2. Títulos criam um viés de autoridade:

A opinião do chefe promove o pensamento de grupo. Quando o gerente fala, a maioria das pessoas muda suas "opiniões".

Se você é o executivo mais graduado da sala, seja o último a falar. Para evitar o "viés de autoridade", certifique-se de que todos compartilham sua opinião antes de você. Se você está ansioso, capture seus pensamentos em um post-it. Ouça e preste atenção – não deixe sua perspectiva se tornar o modo de pensar de todos.

3. Títulos alimentam a ilusão de poder

A maioria das organizações correlaciona títulos com autoridade – sendo o chefe igual a estar certo. A maioria das pessoas tem um problema em abraçar sua própria vulnerabilidade; eles usam um título para se proteger.

Estudos globais revelam que 79% das pessoas desistem de seus empregos por "falta de apreciação". Quando você não precisa proteger uma imagem perfeita de você como líder, é mais fácil avaliar o bem dentro dos membros de sua equipe. Refletir, a sua auto-imagem está atrapalhando?

4. Títulos protegem zonas de conforto

A (falta de) título é saída – é uma desculpa comum para não assumir mais responsabilidades. E esperar que alguém faça as coisas por nós.

Os títulos nos protegem do alongamento além da nossa zona de conforto . Os gerentes seniores os usam para ocultar sua vulnerabilidade; aqueles que estão nas "fileiras inferiores" não avançam porque não têm o título "certo". E se você?

5. Títulos escondem nossos pontos cegos

Os executivos seniores vêem diferentemente como escrevi aqui – eles observam todo o quadro e visualizam um futuro melhor. No entanto, esse ativo também pode cegá-los – eles supõem que todos vejam o que veem.

Por exemplo, 89% dos chefes acreditam empregados sair, porque eles querem mais dinheiro, mas apenas 12 por cento dos funcionários realmente sair por esse motivo. Deixando de lado o seu título é também sobre não ser cegado pela sua posição. É reconhecer a lacuna entre sua perspectiva e sua equipe.

Certifique-se de que todos estão na mesma página, em vez de supor que eles vêem o que você vê.