Projetando Handoffs Limpos

Esclareça cada momento da relação de uma pessoa com um sistema inteligente

IDEO Blocked Unblock Seguir Seguindo 12 de outubro de 2018

Isso faz parte de uma série para provocar diálogo e fornecer formas concretas de ajudar as pessoas a projetar sistemas inteligentes de maneira ética. Leia nossa introdução.

Em um sistema inteligente, uma “experiência perfeita” para os usuários pode não ser apropriada. As pessoas que usam o sistema precisam saber quando estão prestes a ultrapassar um limiar crítico – por exemplo, quando o sistema está passando de um estado autônomo de tomada de decisão para um que requer intervenção humana. Como designers, precisamos identificar esses momentos críticos e fornecer costuras visíveis para ajudar os usuários a navegar pelas transições, criar confiança e manter expectativas adequadas.

Atividades para tentar

_Crie um mapa de jornada do sistema inteligente, destacando o que o sistema está "fazendo" e como "entende" por que ele deve tomar uma ação com base no contexto externo. Explore como esse mapa intercepta um mapa da experiência do usuário centrado no ser humano e protótipos de maneiras de minimizar qualquer ambigüidade entre a agência humana e a de máquinas.

Para cada momento, liste todas as maneiras pelas quais o sistema inteligente pode agir em nome dos usuários (diretos e indiretos). Faça uma discussão em equipe sobre onde cada ação se encaixa nesse espectro:

_ Jogue um cenário experiencial com um membro da equipe no papel da interface AI (role-playing de uma “API Humana”) e outra pessoa como usuário, talvez com uma audiência para observar. Conforme você passa pelo cenário, o que parece certo e errado? Explore por que esses sentimentos podem existir. Tente canalizar as habilidades de um escritor, um psicólogo ou um economista comportamental para ajudar a sintonizar as interações.

Vinheta do projeto

Em veículos semi-autônomos, há momentos em que o carro pode ser seguramente controlado, mas também momentos em que o motorista humano deve assumir o volante. Como podemos transmitir melhor as capacidades e limitações do veículo aos condutores? A equipe de design decidiu prototipar formas de comunicar os momentos de "hand off" entre o carro e o motorista e, assim, configurar uma simulação de direção para explorar uma variedade de canais, incluindo voz, som e luzes. Observando como os motoristas reagiram a esses sinais e sondando para entender o porquê, revelaram momentos críticos em que eles queriam assumir o controle, mesmo que o veículo fosse capaz de dirigir de forma autônoma.

Explore as outras postagens desta série:

Texto original em inglês.