Web 1.0 à Web 4.0: entenda sua evolução e diferenças

Escrito em: 26/10/23

A Web representa a rede que conecta computadores em todo o mundo, e ela vai evoluindo conforme o avanço tecnológico. A divisão da internet se dá por meio de épocas e cada época possui partes que recebem o nome de Web 1.0, 2.0, 3.0 e 4.0. Porém, precisamos estar cientes que as diferentes épocas da internet podem até representar um certo avanço na tecnologia, mas elas estão mais associadas com quem as usa (usuários).

Assim, a internet é a forma mais igualitária de comunicação. Pois, por meio dela se tornou possível utilizar as diferentes ferramentas para buscar qualquer conteúdo que já esteja inserido nessa rede de informações.

Neste artigo, você entenderá as diferenças e evoluções da Web, além de conhecer as suas principais características.

Imagem representando a evolução da Web.

O que é Web?

Web significa, em sua livre tradução, teia ou rede. Porém, com o surgimento da internet ela recebeu outro significado, passando a designar a rede que faz a conexão entre todos os computadores do mundo. Este processo ocorreu em 1992, quando o cientista Tim Berners-Lee criou World Wide Web, ou seja, o WWW.

WWW se digita antes do nome de qualquer site. E essa rede teve seu início a partir da criação de hipertextos, permitindo que várias pessoas trabalhassem ao mesmo tempo e acessassem os mesmos documentos. Essa criação foi proposta pela Investigação Nuclear na Organização Europeia.

A seguir, confira a evolução da Web:

Web 1.0

A Web 1.0 é considerada a primeira geração da internet comercial, ou seja, era a internet como ela surgiu. Ela foi ofertada pelo cientista Tim Berners-Lee em 1989, sua composição se dava através de sites com conteúdos estáticos com pouquíssimas interações entre os usuários e vários diretórios de links.

Os vídeos eram praticamente raros nessa geração, pois a comunicação ocorria por meio de uma só via, ou seja, os usuários não criavam conteúdo. Os sites que prevaleciam na época eram de empresas e instituições.

Assim, os principais serviços que ocorriam pela internet nessa época eram: Altavista, Geocities, Cadê, Hotmail, DMOZ, Yahoo! e o Google.

Características Web 1.0

A Web 1.0 foi marcada pelas seguintes características. São elas:

  • Hiperlinks;
  • Email;
  • Controle de buscas simplistas;
  • Seção de links recomendados;
  • Conteúdo estático.

Web 2.0

A Web 2.0 trata-se da segunda geração da internet, onde aconteceu uma revolução na experiência dos usuários, permitindo que eles iniciassem a criação de conteúdos.

A Web 2.0 surgiu no ano de 2004, criada pela empresa americana O’Reilly Media. Nessa época era chamada de Web Participativa. Assim, iniciou a possibilidade de ir além das páginas estáticas, pois eram oferecidas formas de interação.

Além disso, foi nessa geração que a internet se tornou popular em todo o mundo, por meio do Facebook, Youtube, Flickr, Picasa, entre outras redes sociais. Enfim, todas as redes sociais passaram a ter voz.

Características da Web 2.0

Foi na Web 2.0 que a navegação mobile e o uso de aplicativos começaram a ter uma forte presença na vida das pessoas. Por isso, listamos as principais características dessa época. São elas:

  • Blogs e chats;
  • Mídias sociais colaborativas;
  • Redes sociais;
  • Conteúdos produzidos pelos usuários;
  • Seleção de informações gratuitas;
  • Conteúdos dinâmicos;
  • Avaliações e comentários online;
  • APIs criadas para autorizar uso próprio;
  • Diferente acesso à Web.
Web 3.0

Web 3.0

A Web 3.0, também conhecida como Web3, refere-se à terceira geração da internet, onde inclui a alteração da Web em uma base de dados. Dessa forma, seu surgimento se deu por meio da transformação digital.

O termo 3.0 foi criado pelo jornalista John Markoff, do New York Times, baseado na evolução do 2.0. Assim, pode-se dizer que Web 3.0 trata-se de um termo utilizado para descrever muitos avanços no uso da internet e interação com diversos caminhos.

Em suma, podemos defini-la como a internet que possuía toda a informação organizada, ou seja, organizada para que não somente os humanos pudessem entender mas também as máquinas. Assim, as máquinas passaram a nos ajudar respondendo perguntas e pesquisas.

Além disso, as tarefas que antes eram feitas por humanos receberam melhorias e muitas passaram a ser operadas somente pelas máquinas. Todo esse processo ocorreu graças ao uso de tecnologias de automação.

Características da Web 3.0

As automações presentes nessa geração servem também para melhorar o desempenho da própria internet. Assim, confira as principais características presentes na Web 3.0. São elas:

  • Web Semântica:

A evolução gradual da Web abarcou a Web Semântica, pois ela aperfeiçoou as tecnologias da Web na busca de criação, compartilhamento e conexão dos conteúdos, através de buscas e análises. Dessa forma, pode-se compreender o significado das palavras, mais do que palavras-chave e números.

  • Inteligência Artificial:

A combinação dessa funcionalidade com o processamento de linguagem funcional da 3.0, os computadores passaram a identificar informações como humanos. Assim, fornecem respostas mais rápidas e eficientes.

  • Gráficos em 3D:

Iniciou-se o uso dos designs tridimensionais em websites e serviços na 3.0. Podemos citar como exemplo de utilização do gráfico 3D os conteúdos geoespaciais, guias de museus, jogos de computador e e-commerce.

  • Conectividade:

Nessa geração, as informações se tornaram mais conectadas devido aos metadados semânticos. Dessa forma, a experiência do usuário evoluiu para outro nível de conectividade que faz uso de todas as ideias disponíveis.

  • Ubiquidade:

O conteúdo se tornou acessível através de vários aplicativos, todo o dispositivo fica conectado à internet, tornando possível o uso dos serviços em qualquer lugar.

Web 4.0

Enfim, chegamos na atual geração, e nunca na história da internet se falou tanto em políticas de privacidade e esse pode ser um ponto central daqui em diante. Essa época da internet é considerada promissora nos ramos com impacto na interação social, internet das coisas, inteligência artificial, realidade virtual, e assim por diante.

Vale pontuar que a quarta geração da internet baseia-se nos atributos do mercado e nas necessidades dos usuários modernos. A Web 4.0 se tornou a ponte entre clientes e empresas, facilitando diversos quesitos.

Além disso, as organizações podem integrar seus serviços por meio de sistemas que oferecem pacotes que permitem o controle de câmeras e funções nas suas residências de onde estiver. E essa mudança do físico para o virtual foi perceptível durante a pandemia, quando a interação social mudou completamente.

Características da Web 4.0

A sua principal característica se encontra no desenvolvimento de sistemas e tecnologias já existentes. Assim, as ferramentas ganharam capacidade de suportar mais interações entres os usuários, agregando quantidade ao conteúdo.

Os recursos serão cada vez mais eficientes e as ferramentas irão receber ainda mais automação com o auxílio da inteligência artificial. Além disso, como a Web 4.0 existe para suprir as necessidades que o mercado e os consumidores estão sentindo, irão ser desenvolvidos recursos que ainda desconhecemos, mas que serão reparados por ela.

Tendências da Web 4.0

A Web 4.0 intensifica o que chamamos de inteligência de dados e a linha tênue que separa o ser humano e a máquina. Confira as suas principais tendências:

  • Internet das Coisas

A Internet das Coisas refere-se a um conceito um pouco conhecido, mas utilizado como referência em vários dispositivos conectados à internet. O uso dessa tendência elimina a necessidade de uma ação humana em diversas tarefas.

Essa tecnologia ainda tem muito para expandir, melhorando assim, as experiências de compra. Uma das idealizações consiste em utilizar a tecnologia RFID para a identificação dos produtos dos clientes no carrinho, calculando automaticamente o total das compras.

  • Integração de serviços

Essa tendência consiste em diversas integrações que irão facilitar o dia a dia de empresas e usuários por meio de sistemas. Portanto, novos serviços podem ser oferecidos com a utilização dessas combinações.

A possibilidade de integrar novos serviços a tecnologia já existe, assim uma aposta para a nova era da internet é que essas novas integrações de serviços ocorram sem a mudança de infraestrutura.

  • Interação Social

A transformação digital possui um impacto direto na forma como nos comunicamos e interagimos com outras pessoas, tanto no âmbito pessoal quanto no profissional. Acredita-se que esse processo irá crescer ainda mais graças à essa era da internet.

A aposta nesse crescimento ocorre por meio de diversos investimentos em sistemas de IA e em melhorias nos algoritmos, permitindo que os usuários usem ferramentas online de forma natural e alinhem suas preferências.

Porém, esses fatores impactam diretamente a forma como as empresas devem agir em meio à essas mudanças no mercado, devendo estar sempre atentas nas tendências que envolvem os consumidores.

Em que era da internet estamos?

Pode-se dizer que atualmente nós vivemos na era da internet onde ocorre a transição da Web 3.0 para a Web 4.0. Pois, muito da Web 3.0 ainda se faz presente e se manterá necessária por um longo tempo, porém as inovações da geração de internet 4.0 já estão presente e continuarão expandindo para caminhos ainda desconhecidos.

A geração 4.0 refere-se ao superficial, pois reflete as necessidades do consumidor moderno, que vive em busca de lucros e utiliza as estratégias presentes no marketing digital.

Quem organiza a internet?

Não existe nenhum controle central da internet, em que a responsabilidade fique aos cuidados de algum cidadão ou instituição. A gestão da internet ocorre por meio dos administradores das redes que a compõem ou pelos próprios usuários.

Porém, há alguns órgãos internacionais que são responsáveis pela organização mundial da internet. Confira algumas dessas instituições:

  1. IAB (Internet Architecture Board);
  2. InterNIC (Internet Networking Information Center);
  3. FNC (Federal Networking Council);
  4. The Internet Society;
  5. IETF (Internet Engineering Task Force);
  6. IRTF (Internet Research Task Force).

Qual foi o primeiro nome dado à internet?

A história da internet teve início nos Estados Unidos, no ano de 1969, e era chamada de Arpanet, pois sua tarefa era conectar laboratórios de pesquisas. E foi neste mesmo ano que aconteceu o envio do primeiro e-mail, de um professor da Universidade da Califórnia para seu amigo da Universidade de Stanford.

Nessa época, o mundo vivia no pico da Guerra Fria, assim, a Arpanet assegurava a comunicação entre os militares e cientistas, mesmo quando acontecia o bombardeio.

No ano de 1982, o uso da Arpanet cresceu grandemente no meio acadêmico dos Estados Unidos, mas logo se expandiu para a Holanda, Dinamarca e Suécia e foi aí que recebeu o nome de internet.

Cinco anos depois, em 1987 o seu uso comercial passou a ser liberado nos Estados Unidos. E em 1992, surgiram empresas provedoras de acesso à internet no EUA e o Laboratório Europeu de Física de Particulas (Cern) inventou a World Wide Web. Desde então, o WWW começou a ser utilizado para colocar informações ao alcance de qualquer usuário da internet.

Quem descobriu a internet no Brasil?

A internet não foi descoberta no Brasil, como você pôde ver no tópico anterior. Porém, a chegada dela no país se deve aos cientistas que queriam se conectar com o mundo. O doutor em engenharia e diretor-presidente do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, Demi Getschko, afirmou o seguinte: “Repnet, Bitner, Internet. Não importa o nome, o importante é se conectar”.

Aliás, em 1991, ele foi o responsável por adotar o TCP/IP (protocolo usado pela internet para padronizar as comunicações de rede) no Brasil. Getschko, teve sua história focada diretamente no digital em 1985, quando começou a trabalhar no centro de dados da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Todo esse processo ocorreu antes da comercialização da internet no Brasil, mas foi no ano de 1994, que teve início a exploração comercial da internet. Assim, um projeto piloto da Embratel, permitia acesso à internet por meio de linhas discadas. Em 1995, os acessos passaram a ocorrer via RENPAC ou linhas E1.

Considerações finais

Em suma, as Webs 1.0, 2.0, 3.0 e 4.0 vem gerando grandes transformações na história da humanidade. E conforme a tecnologia vai avançando, os usuários começam a experimentar experiências ainda mais otimizadas e cheias de interações com inteligências artificiais.

As empresas precisam se preparar para essas mudanças que tendem somente a crescer, assim elas manterão suas vantagens competitivas e ficaram no todo das recomendações dos algoritmos e das IAs.

Pesquisa e esteja sempre bem informado sobre a evolução da Web, mas caso tenha alguma dúvida específica é só voltar aqui neste material, pois ele está repleto de ricas informações.

Pessoas também perguntam

Para que serve a Web?

A Web serve para diversas finalidades, uma delas é permitir que os usuários acessem diversos conteúdos através da internet.

Quais as linguagens da Web?

As principais linguagens da Web são:
– JavaScript
– Python
– Java
– PHP

O que é programação Web?

A programação web não se trata somente de desenvolvimento de sites, mas sim de uma comunicação intermediária que consegue traduzir informações para o computador entender e devolver uma resposta ao usuário.

Qual a importância da Web 2.0 na educação?

A Web 2.0 é de extrema importância para o ensino e a aprendizagem, pois facilita a comunicação entre os usuários, fazendo com que os alunos sejam atraídos pela tecnologia e se sintam motivados.

Qual a primeira fase da Web?

A primeira fase era baseada em hiperlinks e usada apenas para exibir conteúdos estáticos.

Quando surgiu o desenvolvimento da Web?

Surgiu na década de 90, graças ao cientista, físico e professor britânico, Tim Berners-Lee.

Rafaela Konze

Rafaela Konze

Rafaela Konze é analista de marketing na Zipline e responsável pelo blog e redes sociais do Agatetepe. Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos por e-mail!

Você também pode gostar…

Web 1.0 à Web 4.0: entenda sua evolução e diferenças

A Web representa a rede que conecta computadores em todo o mundo, e ela vai evoluindo conforme o avanço tecnológico. A divisão da internet se dá por meio de épocas e cada época possui partes que recebem o nome de Web 1.0, 2.0, 3.0 e 4.0....

Estratégia do produto: Como ser o produto nº 1 [Guia]

Você é um fundador, gerente de produto, designer de produto em uma empresa de produtos ou alguém que tenha algo a ver com o sucesso de um produto em geral? Não importa se você é uma startup ou uma empresa estabelecida iniciando um novo...

Jeff Bezos: Os 5 Princípios Mais Importantes para o Sucesso

“Se você é bom em corrigir, errar pode ser menos caro do que você pensa.” – Jeff Bezos Ame ou o odeie, Jeff Bezos é uma das maiores histórias de sucesso na história do empreendedorismo. Afinal, ele que viu a necessidade de livros serem...

Bard: o sistema de inteligência artificial do Google

Google anunciou o Bard, o nome em sua livre tradução significa: bardo. Assim, ele faz referência às pessoas que transmitiam histórias de forma oral na Europa. Bard obtém informações atualizadas da internet, gerando respostas de alta...

Independência financeira: Primeiro passo para construir uma sólida

Investir não é tão complicado, é relativamente simples. Portanto, vamos realizar um exercício: Dinheiro permite gerar dinheiro usando o dinheiro. Se você não investir seu dinheiro, ele nunca aumentará. Você provavelmente gastará, doará ou...

Uso da tecnologia aumenta o lucro dos negócios

O uso da tecnologia pode aumentar significativamente a lucratividade das empresas, segundo especialistas tecnológicos. O uso da tecnologia é uma estratégia competitiva Tecnologia 🧑🏽‍🔬 O que os especialistas falam sobre o uso da...

Bubble.io: O melhor jeito de construir aplicativos sem código

O ramo da programação tem crescido nos últimos anos, principalmente em função dos valores pagos como salário e do retorno de vender produtos desenvolvidos. Entretanto, trabalhar como programador ou desenvolvedor requer alguns...

Neil Patel revela as 7 principais ferramentas de marketing

Neil Patel, co-fundador da Crazy Egg, Hello Bar e KISSmetrics, compartilhou algumas de suas ideias sobre as tendências do marketing digital. Então, descubra como ele usa o Ubersuggest, o MobileMonkey, o Buzzsumo e muito mais para...

SaaS: Tudo que você precisa saber sobre Software as a Service

Você já ouviu alguém falar sobre SaaS, e não faz ideia do que se trata? Saiba que veio ao lugar certo. Este material está tão completo que até quem acha que sabe o que é SaaS, vai descobrir que ainda tem muita coisa nova para aprender,...

Planilhas financeiras: veja as melhores e como usar

As planilhas financeiras são extremamente importantes para uma empresa. Afinal, é com elas que controlamos os gastos, despesas e ganhos do negócio. Porém, construir uma planilha pode estar fora do conhecimento de alguns empreendedores. E...

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *