Categorias
Sem categoria

Descoberta de produtos: Um guia simples para esse processo

A descoberta de produtos pode ser uma atividade até divertida quando falamos de gerenciamento de produtos. Afinal, com ela se entende todos os aspectos da busca por um produto e os recursos a serem construídos.

Portanto, siga este guia simples para a descoberta de produtos e faça um tremendo impacto positivo nos negócios da sua empresa.

O que é a descoberta de produtos (ou product discovery)

Quando se abre uma empresa, o principal é saber o que ela vai vender, antes mesmo de buscar capital, de montar um plano de negócios: tudo gira em torno do produto.

Assim, a descoberta de produto, ou product discovery, é o planejamento do produto a ser vendido, principalmente seu design.

O processo gira em torno de entender qual dor esse produto soluciona e como ele pode ajudar quem o comprar. Mas também, de como pode ser feito o marketing do mesmo, qual seu público alvo e a estratégia de entrada no mercado.

Todos esses pontos devem estar impecáveis para que se possa realmente abrir uma empresa.

Como fazer a descoberta de produtos

Por ser um processo de extrema necessidade, a descoberta de produtos possui algumas etapas. Mas, o mais importante de tudo é entender qual o intuito do produto a ser criado.

Um ponto importante é não montar seu produto no produto de outra empresa. Por exemplo, se você monta um software que ajuda em um ponto específico do Google, pode ser que em algum momento esse ponto seja descontinuado. Então, o que acontece com seu software?

Passo 1 da descoberta de produtos – Empatia

O primeiro passo na descoberta eficaz de produtos é ter empatia com seus usuários e clientes. É necessário fazer distinção entre os dois, porque os clientes podem estar pagando pelo seu produto, mas não necessariamente usando-o, e vice-versa. Então, é importante considerar os dois componentes ao conduzir o processo de descoberta.

Este passo importante no processo é um que muitas equipes de produto ignoram. Dessa forma, para ter empatia com seus clientes, você precisa se colocar no lugar deles. Ou seja, conheça-os e entenda quais são seus desafios e alegrias conversando com eles. Se você puder visitá-los pessoalmente, essa é a melhor maneira. Felizmente, é fácil também entrevistar usuários por meio de ferramentas de bate-papo por vídeo, como o Zoom e o Meet.

Antes de se reunir com seus clientes, crie um roteiro que inclua o objetivo da sua visita, juntamente com uma lista de perguntas que você fará a todos e a cada um. É importante fazer isso para que você possa estabelecer uma linha de base sólida para entender o que está funcionando para eles hoje e quais são seus problemas. Identificar padrões e tendências nesses problemas é como você terá sucesso na próxima etapa. Antes de prosseguirmos, é importante enfatizar que você deve conversar com seus clientes e usuários pelo menos uma vez por semana. Esta não deve ser uma atividade única, mas sim um processo contínuo.

descoberta de produtos

Etapa 2 – Hipótese

Agora que você conversou com seus usuários, provavelmente verá as tendências surgirem rapidamente. Normalmente não são necessárias muitas visitas de clientes para os padrões surgirem. Então, antes de entrar no modo de solução, é essencial formular várias hipóteses com base nos dados coletados.

Como é uma hipótese? Um exemplo hipotético: digamos que você seja um gerente de produtos para o aplicativo Domino’s Pizza e tenha conversado com vários clientes.

Você percebe que a maioria deles não está concluindo o pedido com o aplicativo e, em vez disso, está fazendo um pedido por telefone. Assim, você pode ver os dados do aplicativo para ver onde as pessoas estão desistindo para formular uma hipótese como “Se o aplicativo facilitasse a visualização de quais cupons e cupons especiais estão disponíveis, mais pessoas farão um pedido dentro do aplicativo”.

Antes de passar para a próxima etapa, você deve priorizar sua lista de hipóteses para que você possa se concentrar na mais importante. Depois de determinar a hipótese que você acha que pode ter o maior impacto, é hora da etapa 3.

Etapa 3 da descoberta de produtos – Idealize

Seus engenheiros ou colegas de marketing sempre reclamam que não conseguem ter idéias sobre quais produtos, recursos ou serviços construir? Este é o momento perfeito para envolvê-los. Na verdade, se possível, você deve incluí-los nas fases anteriores também, mas isso muitas vezes não é viável para equipes de desenvolvimento que estão em “modo de entrega” (mais sobre isso em um post futuro!). 

Agende uma reunião de meio dia, chame de workshop para pontos bônus, e convide um membro de cada uma das funções envolvidas em trazer seu produto ao mercado (marketing, design, engenharia, suporte ao cliente são bons pontos de partida). Então descubra que a energia produzida por todos trabalhando juntos poderia iluminar uma sala.

O objetivo da ideação rápida é identificar rapidamente várias soluções que permitiriam testar suas hipóteses.

Você pode fazer isso rapidamente. Não há desculpa para não usar a ideação rápida semanalmente com as suas equipas!

Portanto, veja como criar ideias rapidamente:

Quebre e trabalhe individualmente neste ponto para gerar a maioria das ideias

Dê a todos alguns post-its e canetas coloridas e peça que comecem a escrever ou esboçar ideias, uma por nota de post-it. Mas, limite a quantidade de tempo para essa atividade em um curto período de tempo como 10 minutos.

Pode ser útil ter um cronômetro simples e visual disponível para que todos possam ver quanto tempo resta.

Faça com que todos agrupem seus post-its em um quadro branco. Haverá inevitavelmente alguma duplicação e sobreposição… isso é bom. Grandes mentes geralmente pensam igual!

Dê a todos os pontos coloridos (não mais do que 3) e peça-lhes que votem em qual ideia ressoa com base na probabilidade de provar sua hipótese.

Selecione a ideia com mais pontos. Se houver um empate, é nesse ponto que você pode usar sua experiência de gerenciamento de produtos e seus instintos para selecionar aquele que considera o melhor.

Faça uma lista das ideias, especialmente as principais, para que você possa voltar a elas mais tarde.

Agora você está pronto para prototipar com base nessa ideia principal.

Etapa 4 – Protótipo

Com base na sua hipótese, qual é o protótipo mais simples e mais rápido que você pode criar para validar sua ideia? Pode ser tão simples quanto um esboço em um pedaço de papel. Pode ser uma imagem digital em preto e branco que você pode mostrar aos clientes em seus telefones. Poderia ser um protótipo de baixa fidelidade usando uma ferramenta.

Deve ser algo que você pode, literalmente, jogar fora quando terminar de testá-lo. Em outras palavras, não deve ser algo escrito em código que possa ser ajustado ao longo do tempo. Isso é para evitar que as equipes se apeguem demais às suas ideias. Um grande erro cometido pelas equipes é continuar a investir em algo, uma vez criado, mesmo que não tenha sido bem testado (ou, pior ainda, não foi testado)!

Você ou alguém da sua equipe deve poder criar um protótipo em menos de um dia. Se eles estão demorando mais do que isso, eles provavelmente ficarão atolados em detalhes que podem ser descobertos mais tarde.

descoberta de produtos

Passo 5 da descoberta de produtos – Teste

Validar seu protótipo também é algo que você deve ser capaz de fazer em um dia. Encontre alguns usuários-alvo e tente usá-los. Se for um modelo em papel, peça a eles que lhe digam o que devem tocar, de que informações precisam para realizar seu trabalho, etc.

Colete feedback sobre o seu protótipo, desde problemas de usabilidade até se o protótipo ajuda-os a facilitar o trabalho. Descubra o que está funcionando e o que não está funcionando e depois volte à prancheta para refinar sua hipótese até que você tenha alcançado o resultado desejado. Você pode fazer isso ajustando o protótipo original ou pode pegar uma das outras soluções de sua fase de ideação e fazer uma simulação para testes.

Em última análise, você deve estar trabalhando para a menor “coisa” que permita alcançar o resultado desejado. A partir daqui, incentive você a criar um pequeno backlog, não de recursos, mas de hipóteses que você gostaria de explorar e experimentar. Desenvolver uma mentalidade experimental que se concentra em entregar resultados e não recursos é a chave para ter o maior impacto em fazer seus clientes felizes (assim como aumentar os negócios da sua empresa).

Quando não fazer a descoberta de produtos

Apesar de falarmos aqui o tempo todo sobre como a descoberta de produtos é importante, existem alguns casos em que ela pode não ser uma boa ideia.

Isso acontece porque ela acaba custando tempo e dinheiro da empresa, mesmo que essa ainda nem exista. Portanto, o correto é entender a necessidade da descoberta de produtos.

Ou seja, entender se esse processo é a melhor maneira de validar a ideia, se não se conhece o problema ou se há caixa e tempo para executá-lo.

O texto foi publicado originalmente em A simple guide to the product discovery process por Joni Hoadley.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.